Áreas de Intervenção

PSICOLOGIA DO GRANDE TRAUMA

O que é o EMDR?

“Eye Movement Desensitization and Reprocessing”
(Dessensibilização e Reprocessamento através do Movimento Ocular)

É um novo e poderoso método de fazer Psicoterapia, devidamente reconhecida pela Ordem dos Psicólogos, com resultados imediatos na recuperação do paciente.


Como foi desenvolvido o EMDR?

Em 1987 a psicóloga Dr. Francine Shapiro, observou acidentalmente que, sob certas condições, estímulos fisiológicos nomeadamente a estimulação dual (os movimentos oculares, sons, etc…) podem reduzir a intensidade de traumas. A Dr Shapiro estudou cientificamente estes efeitos, e em 1989 publicou no Journal of Traumatic Stress (USA) os resultados da utilização do EMDR no tratamento de vítimas de traumas, com enorme sucesso.

A partir de então, o EMDR desenvolveu-se e evoluiu através das contribuições de terapeutas e investigadores em todo o mundo. Hoje o EMDR é constituído por um conjunto de protocolos que integram elementos de diferentes abordagens terapêuticas, e encontra-se na primeira linha das terapias aconselhadas para os grandes flagelos traumáticos da nossa era pela sua eficácia, rapidez e durabilidade dos resultados.


Como funciona o EMDR?

Sabemos que quando uma pessoa está bastante transtornada, o seu cérebro não consegue processar a informação normalmente uma vez que surgem bloqueios diversos a este nível.

Um determinado momento fica “congelado no tempo” e recordar um trauma pode ser tão perturbador como ao vivê-lo pela primeira vez, pois as imagens, os sons, os cheiros, os sentimentos e emoções não mudaram.

Estas memórias criam e mantêm um efeito negativo na maneira como o paciente vê o mundo e se relaciona com as outras pessoas e situações na sua vida.

O EMDR tem um efeito directo na forma como o cérebro funciona. O processamento natural da informação é reposto e assim após uma sessão com EMDR, a perceção psicosensorial já não se manifesta como antes quando o acontecimento traumático é trazido à mente. As memórias ainda são recordadas mas o efeito perturbador desaparece.

O EMDR recria o que acontece naturalmente durante o sonho ou o sono na fase REM (Rapid Eye Movement) e pode ser encarado como uma terapia de base fisiológica, que ajuda a pessoa a encarar e viver os traumas de uma forma nova e sem os efeitos perturbadores.


Bases científicas do EMDR

Um número substancial de estudos científicos já provou a eficácia do EMDR. Os resultados destes estudos indicam que o EMDR é altamente efectivo, e que os resultados são duradouros a longo prazo.

A Ass. Internacional de EMDR – a EMDRIA, baseada nos EUA, certifica os clínicos, terapeutas, consultores e professores de EMDR, e trabalha em coordenação com diferentes organizações interessadas em todo o mundo, como o Child Trauma Institute, coordenando ao mesmo tempo a task force internacional, que tem estado presente e actuado em todos os grandes cataclismos internacionais dos últimos anos.

Para mais referências, toda a bibliografia das investigações científicas actuais e passadas pode ser obtida através da EMDRIA. Os seguros de saúde nos EUA que cobrem tratamentos de psicoterapia em geral, cobrem também as sessões EMDR.


Como se desenvolve uma sessão normal de EMDR?

Durante a sessão, o terapeuta EMDR trabalha com o paciente para identificar um problema específico que será o ponto focal a trabalhar na sessão de tratamento. O paciente activa o acontecimento ou situação traumática com as diferentes características sensoriais do mesmo, em simultâneo com a sua percepção actual sobre esse acontecimento.

O terapeuta facilita a estimulação fisiológica bilateral, dual do cérebro, enquanto o cliente reactiva a memória traumática, sem nenhum esforço para controlar a direcção ou conteúdo do material recolhido. Cada pessoa vai processar a informação de forma única, baseada exclusivamente na sua experiência e valores.

Os períodos de estimulação dual continuam até que a memória fique menos perturbada, e seja associada com pensamentos e crenças positivas acerca de si mesmo. Durante uma sessão EMDR o cliente pode experimentar emoções intensas, mas no final, verifica-se o desaparecimento dos diferentes níveis de perturbação e stress traumático.


Quanto Tempo demora o EMDR?

Após uma sessão para identificar a natureza do problema e para decidir se o EMDR é a solução adequada para cada caso, seguem-se as sessões de terapia, com uma duração de 60 a 90 minutos. Em média, são necessárias 3 sessões semanais para um caso típico. Estas podem estender-se até 10 sessões consoante as situações particulares de vida, traumas acumulados e tipo de problema em causa, mas tudo depende do protocolo sugerido pelo Psicólogo, adequado para cada caso.


Que Problemas são adequados para tratar com o EMDR?

As investigações cientificas conduzidas até hoje, assim como as informações clínicas obtidas definiram o EMDR como especialmente eficaz no tratamento de, ao que denominamos, grandes traumas, nomeadamente:


Stress pós Traumático (veteranos da guerra, ataques terroristas, catástrofes, despedimentos, pedofilia)


Ataques de Pânico


Lutos resistentes


Desordens dissociativas


Memórias perturbadoras


Ansiedade e desordens conexas


Fobias

Ansiedade de performance


Redução de stress


Comportamentos aditivos e compulsivos


Abusos sexuais


Maus-tratos físicos


Terapia familiar


A INédita e o EMDR

A INédita, possui na sua carteira de colaboradores, mais de 50 terapeutas de EMDR, distribuídos de Norte a Sul do país e presta cerca de 10 consultas (sessões) por dia, contribuindo assim para minimizar o sofrimento dos portugueses que, por alguma razão, sofreram um GRANDE TRAUMA.

A selecção do terapeuta (Psicólogo) é feita por proximidade geográfica, mas essencialmente de acordo com o nível de especialização de cada um, versus o trauma apresentado pelo nosso cliente, o que resulta dizer que a INédita responde personalizadamente à necessidade em causa.

Gerimos integradamente a sua saúde

Marque já a sua consulta de avaliação!

© Inédita - Home Care Treatment Services